LÁGRIMAS E ALEGRIA

Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados. MATEUS 5:4

Como pode Paulo dizer “Alegrai-vos sempre no Senhor”? A alegria de que ele fala provém de lágrimas de pesar. Pois, tanto quanto a alegria mundana traz consigo tristeza, lágrimas piedosas produzem uma interminável alegria que não diminui. A prostituta, que obteve mais honra do que as virgens, experimentou alegria quando tomada por essa chama. Inteiramente aquecida pelo arrependimento, ela foi movida por seu anseio por Cristo. Ela soltou os cabelos, banhou os Seus santos pés com suas lágrimas, enxugou-os com seus cabelos e derramou todo o unguento. Entretanto, essas eram apenas manifestações exteriores. As emoções presentes na mente dela eram muito mais: eram fervorosas — coisas que somente Deus seria capaz de ver. Portanto, todo aquele que ouve falar dessa mulher se alegra com ela, deleita-se em suas boas obras e a absolve de todo pecado. Se nós, que somos maus, a julgamos dessa maneira, imagine que sentença ela recebeu de Deus, que ama a humanidade! Considere quanto, mesmo antes de receber as dádivas de Deus, ela foi abençoada por seu arrependimento. …Pois busco as lágrimas derramadas, não para exibição, mas por arrependimento; quero aquelas que escorrem secretamente e a portas fechadas, fora da vista, suave e silenciosamente. Desejo aquelas que têm origem nas profundezas da mente, aquelas derramadas em angústia e tristeza, aquelas que são somente para Deus.

“Eu busco as lágrimas derramadas, não para exibição, mas por arrependimento.”

Sobre o Autor

  • João nasceu em Antioquia, provavelmente em 349. Educado pela mãe, santa Antusa, viveu vida monástica dentro de casa, nos anos de sua juventude. Depois, quando morreu sua mãe, retirou-se para o deserto e aí permaneceu seis anos, dos quais os dois últimos passou no retiro solitário de uma caverna, em detrimento da saúde física. Chamado à cidade e ordenado diácono, dedicou cinco anos de preparação ao sacerdócio e ao ministério da pregação. Ordenado sacerdote pelo bispo Fabiano, tornou-se o seu zeloso colaborador no governo da diocese de Antioquia. A especialização pastoral de João era a pregação, na qual revelava os dons de orador e sua profunda cultura. Pastor e moralista, mostrava-se ansioso em transformar o comportamento prático dos seus ouvintes e não permanecia na exposição de raciocínios sobre a mensagem cristã.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *