Uma Palavra aos Moços

A morte e o julgamento estão diante dos moços, assim como dos outros; mas quase todos eles parece esquecer-se disso.

Moço, estás lhe ordenado morrer uma só vez (Hb 9:27). Não importa o quanto você esteja saudável e forte agora, o dia de sua morte talvez esteja muito próximo. Tenho visto a doença atingir jovens e velhos. Tenho feito funerais de jovens e idosos. Nos cemitérios eu leio nomes de pessoas da mesma idade que sua. Tenho lido que, com exceção da infância e da velhice, morrem mais pessoas entre os 13 e 23 anos que em qualquer lugar fase da vida. Mesmo assim, você vive como se estivesse certo, no momento, de que jamais morrerá.

Você pensa em atender a estás exortações amanhã? Lembre-se das palavras do sábio Rei Salomão: “Não te glories do dia de amanhã, porque não sabes o que trará à luz” (Pv 27.1). “As coisas importantes, amanhã”, disse um cético a alguém que o alertara de um perigo iminente; mas o amanhã dele nunca chegou. O amanhã é o dia do diabo, mas o hoje é o dia de Deus. Satanás não se importa com a espiritualidade de suas intenções, ou com a santidade de suas resoluções, contanto que sejam para amanhã. Oh! não dê lugar ao diabo quanto a isso! Diga-lhe: “Não, Satanás! Será hoje, hoje mesmo!” Não são todos os homens que chegam à idade de patriarcas como Isaque e Jacó. Muitos filhos morrem antes de seus pais. Davi teve de chorar a morte de dois dos seus filhos mais queridos; Jó perdeu todos os dez filhos em um só dia. A sua sorte pode ser como a daqueles jovens; e quando a morte chama, é inútil falar em amanhã – você tem de ir imediatamente.

Você pensa que haverá um tempo mais apropriado, no futuro, para considerar essas coisas? Assim também pensaram Félix e os atenienses, aos quais Paulo pregara; mas esse tempo nunca chegou (At 17.32-34; 24.24-27). O inferno está repleto de suposições tolas e fantasiosas como essas. É melhor fazer o que é certo enquanto você pode. Não deixe na incerteza nada que é eterno. Não corra o risco, quando se trata de sua alma. Acredite, a salvação de uma alma não é coisa irrelevante. Todos precisam de uma “grande” salvação, quer sejam moços ou velhos; todos precisam nascer de novo, ser lavados no sangue de Cristo e santificados pelo Espírito. Feliz é o homem que não deixa essas coisas na incerteza e que não descansa até que tenha o testemunho do Espírito, em seu interior, testificando ser ele filho de Deus.

Fonte: Uma Palavra aos Moços – J. C. Ryle
Livro disponivel em: livrariadort.com

Sobre o Autor

  • J. C. Ryle (1816-1900) foi bispo da Igreja da Inglaterra, em Liverpool. Conhecido por sua erudição e piedade, Ryle era também um escritor prolífico, um pregador vigoroso e um ministro fiel. Dentre suas obras, a Editora Fiel tem publicado o "Santidade" e a série de meditações nos quatro evangelhos.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *